Escola de muitos e bons médicos

Comemorado 55º aniversário do Instituto das Ciências Básicas e Pré-clínicas Victoria de Girón

Se algo havia naquele discurso inaugural em 17 de outubro de 1962, quando Fidel – seu fundador– falou pela primeira vez a esses jovens iniciais que tresandariam suas salas de aulas, da medicina preventiva, a erradicação de doenças, a mortalidade infantil, a esperança de vida, e de um sistema de saúde que respondesse às necessidades do povo, era visão. Visão de um futuro não longínquo.

A necessidade obrigava a fazer isso, diante de um êxodo em massa de profissionais que nos anos nascentes da Revolução teve nas áreas de saúde e a docência médica uma repercussão especial. A missão: iniciar a formação urgente e maciça de médicos e odontologistas altamente qualificados; uma «ideia tenaz e profunda» que perdurou em um local que hoje continua sendo, 55 anos depois, referente, baluarte e símbolo da transformação da Saúde Pública cubana.

Assim foi lembrado por estudantes e professores desta instituição, no ato central pelo aniversário daquela que foi um dos alicerces da Escola de Medicina Revolucionária. E não podia ser de outra maneira, que dedicando a primeira das homenagens ao líder, à alma deste projeto que mantém os princípios de fundação daquele dia.

Depois, a entrega da Moeda Comemorativa do 55º aniversário do Instituto das Ciências Básicas e Pré-clínicas «Victoria de Girón» ao primeiro secretário do Partido Comunista de Cuba, presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz, e em nome dele a recebeu o doutor José Ramón Machado Ventura, segundo secretário do Comitê Central do Partido e vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros.

Mais três medalhas comemorativas foram outorgadas aos doutores Machado Ventura, José Ramón Balaguer Cabrera, membro do secretariado do Comitê Central do Partido e José Manuel Miyar Barruecos, funcionário do Conselho de Estado.

Ainda, foi reconhecida a destacada contribuição que deram durante todos estes anos para o desenvolvimento do centro, instituições estreitamente ligadas ao seu surgimento. Por isso, a Universidade de Havana, junto ao Centro Nacional de Pesquisas Científicas, mereceram também, a moeda 55º aniversário.

Na celebração, dedicada aos 50 anos da morte do Guerrilheiro Heroico e o 95º aniversário da Federação Estudantil Universitária, marcou presença Mercedes López Acea, membro do Bureau Político, vice-presidenta do Conselho de Estado e primeira secretária do comitê provincial do Partido em Havana e o doutor Roberto Morales Ojeda, ministro da Saúde Pública, entre outros dirigentes das organizações políticas e de massas do país.

Mais de 80 000 alunos passaram por estas aulas, deles estudantes de 91 países, disse o ministro da Saúde, e assegurou que esta instituição representa um paradigma no desenvolvimento da docência médica cubana. «Em 2012, tivemos o privilégio de receber a mensagem de felicitação a este coletivo, enviada por Fidel, na celebração do 50º aniversário, onde expressava sua satisfação pelo honroso cumprimento do dever, ao serem capazes de graduar milhares de profissionais e levar ao nosso país aos patamares mais altos de atendimento na saúde»; expressou.

Um dever que se renova cada dia, em cada jovem que aprende, no «Victoria de Girón», a arte de curar.

Fonte: Granma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s